terça-feira, 6 de julho de 2010

Zora Howard thats how a woman walks!

Poema de Zora Howard, mas não consegui traduzir tudo :S, não percebi. Algumas partes foram traduzidas á minha maneira, não correspondem exactamente ao poema.



O que quiseste dizer foi "Nunca conheci uma Deusa lirica
que falasse como tu".
Recordo-me dos dias em que imaginava alguém ao meu lado quando me ía deitar, e sabiamente me sibilava palavras que só eu entendia, acerca de como é ser mulher. Percebi finalmente, que eu não era nenhum anjo. Ele cantava-me músicas que me ensinavam a andar como uma mulher em tempos o fez, que os filhos da nossa nação, estão nada mais que em todos nós, que as esperanças são sempre postas em alguém em quem se confia, que carrego uma força divina entre as ancas e para sempre carregar no queixo o orgulho da pessoa que sou. "E tenta não cair, esforça-te na tua caminhada meu anjo. Escreve as tuas próprias melodias. Assim é como uma mulher deve caminhar!"

Então eu agora escrevo-te sob a tua cama imaginária, uma história para adormeceres. Lembras-te quando as crianças escondiam reboçados no bolso de trás das calças? Agora escondem preservativos... e pai, eu temo ter esquecido a letra das tuas músicas. Porque cada música que canto, cada frase que escrevo acaba em gritos e dor. E o som provocado pela tua ausência permite-me não ver com clareza aquilo que posso ter, e sempre que olho para trás de mim já não contemplo galáxia alguma...eram tantas as esperanças e o orgulho, que agora só são pó no escuro! A nossa pele já não possui o mesmo brilho de cada estrela cadente que caía e nos fazia querer ser mais e desejar melhor. Antes auto denominadas como "As Filhas de Eva", eu reflicto sobre a minha sociedade perdida, que mais parece ser uma geração de macieiras de quem as cobras devoraram antes da árvore escolhida!
Os vossos filhos, as vossas mães, conseguem ainda contemplar os vossos olhos nos nossos peitos e reconhecer a lágrima que escorrre pela cara das vossas irmãs?! Tento ainda libertar-me dos novos tempos, e sem geito ainda continuo o meu caminho. Porque prometi ao meu pai quando ele me disse: As mulheres têm de se esforçar mais! PROMETI CAMINHAR, E CAMINHO DESDE ENTÃO! E os meus pés permanecem limpos! Humilhada por cada vez que fui chamada de bonita, mas não me esqueci das tuas palavras e sei que a minha alma é um cálice desde então! Por favor canta outra vez para mim porque o esquecimento abranda o meu passo na busca do meu ser, e quero ser alguém que mais ninguém consiga ter! Observo os meus irmãos a serem desonrados e no entanto não passam de meras criança. Que desde pequenos reconhecem o amargo sabor da perda, e que aprendem com o governo, não a ser bons pais mas a serem bons soldados das ruas. Quando é que eles irão arranjar tempo para sonhar pai? Quero voltar a ouvir a última musica em que dizias que "o nosso corpo é sagrado mas a mente é mais forte! Mas não consigo ensinar-te a cantar todas estas melodias... pois estou demasiado ocupado, a caminhar."
Postar um comentário