domingo, 7 de setembro de 2014

Vendi-te, Amor



Quando amas alguém, surpreender-te-ás ao sentires parte dessa pessoa em ti. Ao morderes a tua própria lingua e sentires o sabor metalizado, irás-te aperceber que ela é diferente, que irás ter de encontrar uma nova maneira de a amar.
 Mulheres não podem ser mastigadas e engolidas para saciar o desejo que carregas.
 Ela foi tocada em tempos.
Ao tocares-lhe irás sentir um formigueiro nas pontas dos dedos pelo medo de não a amares com a suavidade necessária, medo de mesmo sem querer plantares novas cicatrizes, medo de não conseguires transmitir que ela já não é uma vitima e jamais o será contigo.
Irás sempre pedir permissão; para corrigir as atitudes que outros homens não tiveram. Homens que lhe transformaram em Inferioridade, que lhe agrediram em nome de Deus, que substituíram o silêncio por uma faca, que foderam a sua alma...E pensarás se esses mesmos homens não estarão entre vocês... Até aí eles já invadiram todas as vossas conversas, e observarás ela a falar mais baixo quando fala do seu passado. Irás ver o pavor na sua face ao ver que todos lhe acusam de mentir e que todas queimaduras que carrega serão motivo de ódio. Irás odiar ainda mais o seu passado, muito mais que aqueles que a odeiam.
Não terás de amar a sua parte negra.
As partes em que ela se recusava a aceitar-te quando tu lhe ofereces o teu amor.
As partes que lhe fazem afastar de ti.
As partes em que nunca poderás tocar.
As partes em que ela irá consumir apenas para sentir partes das suas feridas.
Parte de ti irá desejar ter chegado primeiro, antes de ela ser mais isto que mulher, antes de ela ter deixado aqueles homens entrarem. Mas é tarde demais. Já deste parte de ti, e não existe muito "tu" onde for. Já partilhaste a mesma pulsação, o teu coração irá bater com a mesma intensidade que o dela. Não saberás destinguir quais entre tantas serão as tuas próprias feridas, e quais vocês partilham. Não haverá outro modo senão amar todas as partes que ela não consegue amar. Amá-la, ela e toda a sua obscuridade. Quando acontecer irás precisar dela para te sentires completo, porque apesar de todos os cacos que é a vida dela, tu necessitas dela, e ficarás. Todos os dias irás entrar em pânico pelo desconhecido; para ti tudo será hóstil e agressividade; para ela será o mesmo, tudo será quente e suave e serás sempre o culpado. Haverá dias em que ela irá duvidar de todo o amor que sentes por ela, haverá dias em que ao olhares para o seu corpo irás-te perguntar se de algum modo te assemelhas aos outros homens pois as tuas mãos e as suas mãos viajaram pela mesma pele.
Haverá dias em que te irás odiar por isso tudo. Nesses momentos haverá escuridão, onde a luz foi agredida; haverá buracos escuros em vez de luz.
Irás acacrinhar e proteger a pouca luz que ela ainda carrega, para que todas as suas noites tenham Sol.



Postar um comentário