sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Essas Ruas

Haverá alguma cura para este ardor?
Talvez eu deva procurar por uma...

Comida não preencherá este vazio
Estou faminta de ti, meu amor

Eu sobrevivi mais um dia,
No meu quarto gelado

Sou migalhas e pedaços de papel,
Deixados para trás.
Sobrevivi na memória de ti.

Todo o meu ser,
É todo teu.
És tudo o que vejo ao meu redor...
Todo o meu ser,
É todo teu.
És tudo o que eu preciso.

Haverá alguma cura para o atraso da demora?
Haverá alguma cura,
Para o ódio de cada segundo que passo sem ti?

Todo o meu ser,
É todo teu.
És tudo o que vejo ao meu redor...
Todo o meu ser,
É todo teu.
És tudo o que eu preciso.

Toda esta vida,
Foi toda por amor.
Será a única rua que percorrei.
E de todas as estradas e avenidas,
Apenas uma me guiará para ti.

Postar um comentário