quinta-feira, 3 de junho de 2010







Ontem tentei subir para um arco-iris, só para ver se caía. E fui cobarde. E nunca soube, nunca soube abraçar-te sem ter de esforçar para não me sentires tremer. Nunca soube o porquê de o fazer; talvez por te amar e te temer. Sim eu poderia dar-te tudo, podia dar-te qualquer coisa, mas...Tenho de amar primeiro e espero que fiques bem. Deixa a luz do candeeiro acesa antes de te ires deitar, queria ver mais uma vez o teu rosto antes de adormecer. E eu sei que nunca me deixei dar, mas quiz-te para mim. Queria fazê-lo desta vez sem tremer, e sim ainda estou aqui, á espera, e sim vou fazê-lo sem temer o futuro, e irei dar-te tudo, irei dar-te qualquer coisa.

Postar um comentário