sábado, 17 de outubro de 2009

Evolução

Peço desculpa pela subita ausência, prometo voltar cada vez mais forte. Com verdades cada vez mais aprofundadas, e tentarei não deixar assuntos de parte por mais pequenos que sejam :).


Existem outras pessoas que também sofrem. Ao chorar sinto que estou a ter uma atitude egoista..não achas? Deve ser, pensar em nós.
Eu não sou tu, tu não és eu e nós não somos os outros, assim como os outros não somos nós. O sentimento só pode ser sentido por uma pessoa, é uma coisa individual do qual não podemos partilhar por mais que queiramos. Acreditar que a outra pessoa sente o mesmo que tu é uma ilusão que todos teimamos em aceitar com um sorriso, uma mentira que todos gostam de partilhar á luz das velas ou após um momento que dizem ser romantico. Eu não sei o que sentes, não tenho como saber. Posso fazer uma ideia, mas nunca saberei exactamente o que sentes, por isso respeito-te, a ti e aos teus sentimentos. Não vou chorar pelos meus sem saber se os teus são maiores ou menores. Os teus sentimentos são mais importantes mesmo pelo facto de eu não saber a intensidade de cada um deles. Milhares de pessoas choram neste momento, nenhuma delas pelo mesmo motivo e com a mesma intensidade, mesmo quando estão perante a mesma situação, pessoas não são uma pessoa. E eu respeito, não choro, porque podes sofrer mais do que eu e eu ao não saber estou a ser egoista ao pensar que os meus problemas ou sentimentos, são de algum modo superiores aos teus. Tento acabar com os sentimentos malignos porque só esses trazem desgraça os outros fazem-me feliz, fico feliz que os sintas, ao sentires eu arranjo vontade de os sentir também. Fico feliz ao imaginar a felicidade, a verdade pura. Só podes ser verdadeiramente feliz se não necessitares de mais ninguém para além de ti mesma para viver, tu és a tua pessoa mais importante e é de ti que tu levas uma vida inteira a tentar fugir para no final veres que te amas...só te tens a ti.
Não te esqueças que morres sozinho, ao morreres ninguém morre contigo a não ser que tire a própria vida. Morres...e acabou. Não existe mais nada. E vês o que passaste, e sentes tudo o que sentiste num instante, e choras pelo que não aconteceu, e choras pelo que aconteceu e o segundo passou. E no momento seguinte és só tu e o medo, a solidão e o frio. Ninguém morre contigo e no final só te resta o esquecimento de uma vida cheia de nada, cheia de ti, sentimentos teus, problemas teus, a tua vida foi tua, só tua.
Existem dias em que quase que consigo alcançar a verdade. No que a tua vida se baseia...nem tudo é um circulo infinito percorrido vezes perdidas. Existe um fim, acredito que sim. Nasce-se, vive-se, morre-se e não pode acabar assim para depois se poder repetir mais uma vez. A evolução não representa tudo. O que é exactamente a evolução? Eu sonho com a evolução. Muitas vezes vejo isso representado em filmes de personagens vindas de outros planetas, que têm o poder de ser um só e de partilharem os mesmos pensamentos, sentimentos e a morte. Será isso evolução? A igualdade?
Não quero ser negativa. Viver é uma coisa linda, mas...vivo em constante contrariedade e todos os dias luto comigo mesma e tento não prestar atenção á verdade que está próxima a mim e todos, mas que todos estamos demasiado cegos para vermos. Quero ser cega, preferia a vossa ilusão, a vossa doce mentira para poder viver na felicidade ignorante. Se viver minto, se morrer apago e esqueço. Pizamos o Inferno sem saber e vivemos a confundi-lo com uma dádiva de um ser Superior que não existe. Pergunto-me se haverá realmente um paraíso...
Postar um comentário