terça-feira, 29 de julho de 2014

Continuem a ler

Quando alguém me apresenta como sendo "fixe"
Como se as metáforas que utilizo não fossem nada mais 
que simples comprensas para todas as feridas que carrego
Que tudo isso era mais que suficiente para me conhecerem para além de apenas o meu nome.

Mentalmente transformo-me em alguém que penso ser, alguém mais forte
Mas digo nada mais que palavras  suaves como quem tem medo
Medo, que se falar alto demais alguém que não devia me possa ouvir
E sorrateiramente escondo-me atrás do amor que sinto

Eu vi o que estava para acontecer
Foi tudo tão fácil

Como um homem cego lê braile 
Tu levavas todo o tempo do mundo a explorar cada canto do meu corpo 
Existiam sempre palavras novas e romances por contar.

Lembro-me de te ter dito que te iria amar para sempre 
Mesmo que não ficasses para eu poder prová-lo.

Por isso peço a todos os que queiram um pouco de mistério
A todos os queiram viver para sempre nas minhas palavras
Que eu só falo em partir no comboio mais próximo
E vejo que maior parte de vocês vivem numa maré de atrasos constantes
E nunca me dei ao trabalho de sequer pedir para esperarem por vocês
Tudo isto porque penso que talvez não seja muito romântico fazer amor com alguém que faz amor com a sua própria tristeza todas as noites

Á muito que parei de ver as labaredas das minhas palavras, 
Assim como todos vocês, que nem me conhecem.
Para vocês a minha dor é considerada uma Musa
E guardam o meu coração no fundo do mar.
Para que possam conseguir durmir mais descansados à noite
Porque existe uma rapariga que nem conhecem que os entende
Melhor do que a si mesma.








Postar um comentário