terça-feira, 2 de setembro de 2008

Ausência




















Ainda me lembro...Tu eras como mil doces abismos
Nos quais eu desfrutava da sensação de desamparo e solidão
Caí e flutuei inúmeras vezes para a tua Sombra da Vida
Caminhei em ti, flamejante...
Já não consigo avistar os teus olhos castanhos com vontade de viver, na minha memória apenas ficou uma vaga lembrança dos teus traços que nunca conheci verdadeiramente
Tudo morreu para lá do pinhasco...
Saltei, apenas saltei...
E naufraguei...nas lágrimas da tua ausencia.
Postar um comentário